sexta-feira, 17 de outubro de 2008

URDO-BARBE


Celebro o mundo
a precariedade do mundo
a subjetividade imanente
a transcendência linear
o sufrágio no vácuo
o mundo lógico/escato
substrato retr[radi]oativo

mundo extra-imundo
subjacente e urbe
a [h]ora menos sua origem
/* Wflux cara a cara
sem direito aos seus poderes
sem suas leis gaseificadas */

o que vale ser visto
ser que compreendido o
leis extras de bardo
métricas sem rédeas

se tudo não é suficiente
se tudo não é tão igual
IF a bala é perdida THEN
mate o otário
ELSE mate a pessoa certa
END IF

tudo não tão lógico
nem tão certo
nem tão menos bipolar
fluxo de cre-ex-mentos

devíamos nos desprender das palavras
esquecermos dos gestos
abandonar a comunicação
não mais usar a interação
devíamos dever
imaginar o mundo sem imaginação
sentir o sangue pulsar
sob a égide das leis naturais

hoje sei que meu saber é sapere
hoje sei que sei pouco
amanhã saberei que saber é preciso
Creative Commons License
URDO-BARBE by Ozimar Alves Cunha is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

3 comentários:

Rozangela disse...

Tentei ser seguidora desse blog e não consegui, nova em relação a blogs, mas continuarei tentando...
E obrigada pela visita, acompanharei esse aqui !!
Rozangela

saga dos martins disse...

Gostei demais ...agora consegui acompanhar esse seu blog!

Saulo disse...

Com certeza esse é um primor da sua literatura: Um poema que pode ser "compilado" é talvez até rode sem nenhum "Bung"